Muitas mulheres vão em busca de aconselhamento nutricional quando se vêem grávidas. Ainda que não tenham até então bons hábitos alimentares no seu dia-a-dia, a presença de um bebê e sua dependência da mãe, implica agora numa alimentação mais responsável, consciente e saudável.

Essa preocupação é fundamental. E como é bom quando a mulher tem essa percepção no início da gestação.

Cada período da gestação tem características diferentes, com diferentes sintomas. Por exemplo, no primeiro trimestre, há mulheres que iniciam com obstipação forte, outras apresentam enjôos e azia, mal conseguindo se alimentar, e outras ganham peso além do desejado, lembrando que o ganho nesse período deve ser mínimo.

Sabemos que ao longo da gestação, há maior necessidade de várias vitaminas e minerais, bem como de proteína de ótima qualidade. E não podemos descuidar do consumo energético, com carboidratos de baixo índice glicêmico e consumo adequado de gorduras, principalmente mono e poliinsaturadas. Além disso, é preciso avaliar a adequação de vitaminas e minerais, ômega-3 (DHA), necessidade de probióticos, etc.

O ganho de peso na gestação é rápido, de um mês para outro, se não houver cuidado, a balança aponta vários quilos extras.
Iniciar a gestação com sobrepeso ou obesidade, ou ganhar peso rapidamente e fora do aceitável são situações que precisam ser acompanhadas e bem conduzidas, prevenindo assim problemas ao bebê, à mãe e complicações no parto.

Pesquisas mostram que até o paladar da criança começa a se formar durante a gestação, continuando na amamentação. Mais um motivo para não se deixar levar pelo excesso de doces, buscando substitutos e alternativas condizentes com esse momento tão precioso.

A alimentação diversificada e equilibrada oportuniza a mãe cuidar de seu bebê desde já, enquanto está na sua barriga. É um ato de amor!